Notícias

Alunos da Escola Tim Lopes constroem relógio de sol feito com material reciclado

Relógio de Sol faz parte de projeto científico que levará os alunos para uma viagem ao INPE

Os alunos do 6º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Arcanjo Antonino Lopes (Tim Lopes) iniciaram no último mês de setembro o projeto educacional Meu Relógio, Meu Sol, para a construção de um relógio de sol na escola feito com elementos sucateados reciclados. O relógio é do tipo equatorial e exige o alinhamento à Linha do Equador e ao pólo norte geográfico.

A inauguração do relógio de sol, o único existente nas escolas municipais de Paraíba do Sul, foi realizada nesta quinta-feira, dia 18 de outubro, com a presença de alunos, pais, professores e da secretária de educação, Neila Bouzada. O projeto visa despertar novos desafios nos alunos, e espantar das vidas destes jovens a falta de autoestima, a preguiça e, principalmente, a dificuldade para reconhecer as próprias vitórias e conquistas.

Também foi construída uma cápsula do tempo, feita com tijolos maciços do início do século passado e, em seu interior foram colocados cartas com os sonhos, desejos, expectativas dos diversos envolvidos no projeto: alunos, professores, servidores, pais, apoiadores do projeto e autoridades escolares. Aos alunos, caberá, ainda, a assinatura do “Contrato – Darei o Melhor de Mim na Escola e na Vida”.

O relógio também é um monumento símbolo aos esforços de todos os membros que se dedicam à escola Tim Lopes, e que buscam alcançar objetivos e resultados significativos na educação.

Expedição Científica no INPE

O coroamento do projeto se dará com uma viagem dos alunos no próximo dia 01 de novembro ao INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – com o apoio da Secretaria Municipal de Educação. O INPE é o principal instituto de desenvolvimento de tecnologias de ponta na América Latina, sendo considerado a “NASA brasileira”, e está localizado em São José dos Campos - SP.

Para o coordenador e idealizador do projeto, o professor Aristide Neto, a viagem promete oferecer aos alunos muitos conhecimentos científicos e será uma experiência única na vida desses alunos, fortalecendo o sentimento de ser capaz em cada um.

“Queremos que o projeto e, principalmente, a expedição científica no INPE, ajude os alunos a enxergarem muito além do mundo que os rodeia todos os dias. Eles precisam despertar e conhecer as enormes possibilidades que existem para a vida deles e saber que as conquistas são possíveis” – disse Aristides.